Blog de crítica e opiniões sobre as políticas que afetam negativamente a humanidade. O Homem na atualidade necessita urgentemente de arrepiar caminho, em busca de um novo Mundo!

02
Abr 13

Na última década os excessos do poder financeiro provocam a ira das populações. O banco Goldman sachs tem um ativo de mais de 700 mil milhões de euros e aposta diariamente para obter mais lucros no mundo inteiro, pondo o dinheiro a circular 24 horas nos cinco continentes. De Frankfurt a Paris, de Londres a Washington a sua rede de tentáculos funciona em todo o mundo financeiro.

É um banco sem balcões, sem publicidade, sem rosto, que apenas tem clientes selecionados, como a Ford, a BP ou o FacebooK, ou então governos, como os Estados Unidos, China, Rússia. O Goldman sachs tem o mundo transformado em equações, de forma a saber o preço para tudo o que nos rodeia, empresas, Estados, indivíduos, assim apostam na subida ou na descida para obter o lucro máximo.

Os corretores do Goldman são ambiciosos, ricos e arrogantes e a sua principal missão é especular contra os seus próprios clientes, acumulando assim lucros de mais de 13 mil milhões de euros anualmente. Quando a bolha do imobiliário explode em 2007, a onda de choque ultrapassa as fronteiras de Wall Street. É o futuro de todo um sistema, o do capitalismo financeiro, que está em jogo. O Lehman Brothers foi eliminado do mapa devido ao golpe a que foi sujeito pelo Goldman sachs. O desaparecimento do rival proporcionou lucros obscenos em pleno auge da crise em 2008.

Hoje o Goldman sachs é um império financeiro, constitui um estado dentro do Estado, ou seja, dirige o mundo vergando os governos a seu belo prazer. O Goldman está bem representado em Washington e em todos as instituições importantes do mundo, no FMI, no Banco Mundial, no Banco Central Europeu. Mario Draghi, Lucas Papademos e Mario Monti são da família Goldman Sachs. As influências estendem-se desde a maré negra do Golfo do México, à crise das dívidas soberanas na Europa e do subprime nos EUA.

No caso do português também existe um familiar que da pelo nome de António Borges, ex-FMI, atual conselheiro de Estado para as privatizações e ex-dirigente do Goldman Sachs Internacional, de 2000 a 2008. De transparente isto pouco tem, ainda mais num mundo onde os governos estão fracos, os bancos fortes e os políticos estão nas mãos dos bancos. Estou certo que o Goldman Sachs tem interesses nas privatizações que estão para acontecer em Portugal e o conselheiro de Estado para as privatizações assegurará que tudo seja salvaguardado.

publicado por franciscofonseca às 22:38
sinto-me:

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20

22
23
24
26
27

28
29
30


TIME
Google Analytics

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

10 seguidores

pesquisar neste blog
 
TRANSLATE THIS BLOG
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
VISITANTES
blogs SAPO