Blog de crítica e opiniões sobre as políticas que afetam negativamente a humanidade. O Homem na atualidade necessita urgentemente de arrepiar caminho, em busca de um novo Mundo!

07
Jul 13

Em Portugal assistimos a jogos partidários que podem vir a resultar na implosão do sistema partidário. Na última semana as principais figuras políticas do país tiveram uma atuação vergonhosa e desprestigiante, com comportamentos que só contribuem para denegrir, ainda mais, a imagem da classe e das instituições nacionais. A governação em Portugal está hipotecada nos tempos mais próximos, devido à falta de políticos de craveira capazes de reorientar as políticas públicas, no sentido de construir um Estado desenvolvido e próspero.

O ministro das finanças demissionário admitiu que as políticas implementadas nos dois últimos anos de governação estão erradas. O que está em causa não é o prolongar por mais um ano a meta do défice, mas saber se Portugal aceita continuar por esta via que faz da pobreza um objetivo de política pública, e onde, no final, acabará por perder a própria alma. Aquilo que confere a uma nação o direito de existir.

O que está em causa é se continuamos no caminho do desemprego elevado, dos salários baixos, das pensões exíguas, da pobreza crescente, dos impostos altos, da "hipoteca" dos endividamentos e do futuro sem esperança. Há uma única solução para estes males: reorientar as principais políticas económicas e sociais, assim como fomentar a construção de uma economia mais dinâmica, mais produtiva e mais competitiva. Este é o mais grave e o mais difícil de todos os nossos problemas atuais. Se os responsáveis políticos não souberem enfrentar e vencer, em tempo útil, a doença que mina profundamente a nossa economia, a democracia nascida em 1974 terá os seus dias contados.

A solução agora encontrada é temporária e frágil, pois os problemas mais cedo ou mais tarde voltarão a surgir. Como é que esta liderança política neste país vai debater quanto é que o Estado realmente faz numa sociedade. Temos mesmo que pagar por estas coisas todas, ou pagamos menos e começamos a reduzir a nossa dívida. Não pode haver “vacas sagradas” e tudo tem de estar aberto para debate, ou vamos continuar a sofrer com crescimento baixo para sempre. Os movimentos nacionalistas aproveitam muito bem estas crises para crescerem e aumentarem o seu apoio social.

publicado por franciscofonseca às 19:59
sinto-me:

Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

10 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO