Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Secretas portuguesas sem controlo

por franciscofonseca, em 03.06.12

A novela das secretas em Portugal continua e não sei quantos mais episódios vamos ter de assistir. Em Portugal os serviços de informações sempre foram uma grande trapalhada. Nunca se sabe muito bem quem dirige os serviços, quem fiscaliza e quem pode ter acesso à informação. Existe uma regra de ouro nos serviços de informações, mas que em Portugal nunca é cumprida, quem entra nas secretas não pode depois sair. Esta regra esta plasmada nos livros, na experiência histórica, nos filmes, ou seja, quem entra nas informações para trabalhar fica o resto da vida ligado as informações.

Mas, em Portugal é possível pertencer aos serviços de informações e a seguir sair para pertencer a uma empresa privada e depois mais tarde até pode voltar aos serviços de informações, para cargos mais importantes dentro da hierarquia dos serviços. Isto é inconcebível e claro que mais tarde ao mais cedo resulta em grandes trapalhadas. Mais, vejamos o que aconteceu com quatro dos sete ex-directores-gerais do Serviço de Informações e Segurança (SIS), a secreta que trabalha sob ameaças internas à segurança, foram ocupar cargos de natureza política quando deixaram as funções na intelligence.

Hoje, os jogos geoestratégicos e de interesses económicos são muito complexos, quer entre países concorrentes, quer entre empresas. Os países desenvolvidos utilizam os seus serviços secretos para obter informações importantes tanto a nível de ameaças à sua segurança, como também informações importantes em termos de oportunidades de negócios para o seu país. Em Portugal as secretas são uma teia infiltrada por interesses políticos e privados que desvirtuam completamente o objetivo da sua existência.

Por outro lado, os escolhidos para as secretas tem de estar acima de toda e qualquer suspeita, ter uma alta competência para trabalhar nas diferentes áreas dos serviços e, um nível ético irrepreensível. O poder político tem de elevar o nível de exigência ética relativamente às escolhas que são feitas, caso contrário mais novelas haverá no futuro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:36


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D