Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A internet e a reinvenção do capitalismo

por franciscofonseca, em 11.04.11

Os senhores detentores do capital continuam apenas concentrados estritamente nos lucros. Este é o principal factor, responsável pela falta de uma maior legitimação popular do capitalismo. Assim, a reinvenção do capitalismo terá de passar por corporações socialmente responsáveis, que ao mesmo tempo que prosseguem a sua actividade, promovem o bem comum. A concentração de capital está no cerne das principais crises económico-financeiras. No novo mundo, que temos de construir, o capital tem de fluir, de forma produtiva e segura, para os países mais pobres.

Por conseguinte, já não existem dúvidas sobre a forma como a internet e as redes sociais estão a alterar as relações humanas e a própria natureza humana. O mais fascinante é a forma como a internet faz despoletar actos de generosidade e de verdadeira conexão e partilha de informação. Todos nós, ao navegarmos online retiramos vantagens da generosidade de outros.

A informação é o bem que as pessoas partilham com maior facilidade, seguido do tempo e dos bens materiais. Existem novos websites que estão a eclodir para facilitar a doação de bens e serviços, ou seja, baseiam-se no princípio de partilha, a partir do virtual para o mundo real. O poder da informação é hoje determinante no desenvolvimento dos países e das sociedades.

Assim, parece-me que aproveitar a generosidade e a informação para redistribuir um excesso de bens e serviços é uma ideia muito atractiva. As pessoas estão a colocar o poder da Internet nas suas próprias mãos para criar uma nova forma de partilha global. Esta é sem dúvida uma forma de redistribuição do capital por aqueles que mais necessitam.

A verdade é que a informação circula de forma instantânea a nível global, mesmo que tenha pouco valor para nós, poderá ter grande valor para outra pessoa, esteja ela em qualquer parte do mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:05


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D