Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Traficantes de droga criam novas rotas

por franciscofonseca, em 20.08.12

Segundo as autoridades espanholas, o Algarve passou a ser a principal porta de entrada de haxixe na Europa, após o reforço de vigilância em Espanha, que está a empurrar os traficantes de droga para a costa portuguesa, sem vigilância, estando operacional apenas um radar.

Por outro lado, os países africanos de colonização portuguesa estão a ser cada vez mais utilizados por traficantes de droga sul-americanos, entre eles brasileiros, como ponto de passagem para os mercados da Europa e da África do Sul. A rota da droga, proveniente de vários países da América do Sul, está em diversificação, utilizando agora a Guiné-Bissau e Cabo Verde para abastecer o mercado europeu, e Angola e Moçambique para fazer o narcotráfico chegar à África do Sul.

O corredor lusófono da droga, com importante conexão com o Brasil, tem na Guiné-Bissau um ambiente particularmente propício para os traficantes, devido a sua localização em relação à Europa e à América do Sul, a falta de policiamento e a suas ligações linguísticas com Brasil, Portugal e Cabo Verde.

Particularmente nas ligações aéreas e marítimas, Cabo Verde parece operar como uma escala entre três destinos: o fornecedor (Brasil), o mercado (Portugal e Europa) e o armazém (Guiné-Bissau). Com o rápido desenvolvimento do turismo e de relações com comunidades de imigrantes nos Estados Unidos, Cabo Verde também pode ser um local ideal para lavagem de dinheiro.

Os traficantes brasileiros preferem enviar a cocaína destinada à África do Sul para aeroportos pouco seguros, em Angola ou Moçambique, por meio de mulas (transportadores) africanas. As rotas tradicionais começam a estar muito vigiadas e as apreensões e detenções sucedem-se, cada vez com maior frequência. Os traficantes criam novas rotas onde a droga passa a circular com maior segurança, até chegar aos consumidores finais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:27


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D